A Lenda das Amazonas

Bazar Amazônia, a essência da Amazônia

A Amazônia abriga um gigantesco rio que se divide em duas partes. Desde a fronteira com a Bolívia até em frente a cidade de Manaus, o rio se chama Solimões. Nesse lugar ocorre o internacionalmente famoso Encontro das Águas, que compreende a união das águas do Rio Negro, com forte teor ácido, que as torna de cor enegrecida, com as águas barrentas do rio Solimões.

A partir da cidade de Manaus, o rio assume o nome de Amazonas e com esse nome ele vai até sua foz, no norte do Estado do Pará. Segundo os historiadores, o navegador espanhol Francisco de Orelhana, um dos primeiros a percorrer a região, que se tem notícias, encontrou às margens desse rio, uma tribo de guerreiras indígenas que montavam cavalos. Segundo a Wikpédia “conforme consta da Relación de frei Gaspar de Carvajal, a viagem empreendida por Orellana em 1541 e 1542 pelo maior rio do mundo, ajudou a recriar a lenda das mulheres guerreiras, as amazonas da mitologia grega clássica. As icamiabas [como as Amazonas eram conhecidas pelos índios] eram índias que dominavam a região próxima ao rio Amazonas, riquíssima em ouro”. Há uma controvérsia que afirma que, na verdade, não eram mulheres, mas sim, homens de cabelos compridos, que chegaram a lutar com os homens de Orellana. Porém, o frei Gaspar de Carvajal que era membro da expedição de Orellana, também confirma a existência da tribo de guerreiras.

As guerreiras nunca foram encontradas pelos exploradores da região nos séculos seguintes, e a história continua viva para sempre como uma lenda inspirar quem se aventura pela imensidão da Amazônia e seus encantos eternos.

Bazar Amazônia

 

Esta entrada foi publicada em Lendas Amazônicas. Adicione o link permanenteaos seus favoritos.

Os comentários estão encerrados.